pra ficar fácil tratamento Ҩ'

6 de junho de 2011

Etimologicamente, a palavra "eutanásia"  deriva do grego "eu", que significa "bom" (do grego ευθανασία - ευ "bom", θάνατος "morte"), e "thanatos" que significa "morte". Isto quer dizer principalmente boa morte, morte aprazível, sem sofrimento. 
Eutanásia é a prática pela qual se abrevia a vida de um enfermo incurável de maneira controlada e assistida por um especialista.
A eutanásia representa actualmente uma complicada questão de bioética e biodireito, pois enquanto o Estado tem como princípio a protecção da vida dos seus cidadãos, existem aqueles que, devido ao seu estado precário de saúde, desejam dar um fim ao seu sofrimento antecipando a morte.
Independentemente da forma de Eutanásia praticada, seja ela legalizada ou não (tanto em Portugal como no Brasil esta prática é considerada como ilegal), é considerada como um assunto controverso, existindo sempre prós e contras – teorias eventualmente mutáveis com o tempo e a evolução da sociedade, tendo sempre em conta o valor de uma vida humana. Sendo eutanásia um conceito muito vasto, distinguem-se aqui os vários tipos e valores intrinsecamente associados: eutanásiadistanásiaortotanásia, a própria morte e a dignidade humana.
Em primeiro lugar, é importante ressaltar que a eutanásia pode ser dividida em dois grupos: a "eutanásia activa" e a "eutanásia passiva". Embora existam duas "classificações" possíveis, a eutanásia em si consiste no acto de facultar a morte sem sofrimento a um indivíduo cujo estado de doença é crónico e, portanto, incurável, normalmente associado a um imenso sofrimento físico e psíquico.
A "eutanásia activa" conta com o traçado de acções que têm por objectivo pôr término à vida, na medida em que é planeada e negociada entre o doente e o profissional que vai levar e a termo o acto.
A "eutanásia passiva" por sua vez, não provoca deliberadamente a morte, no entanto, com o passar do tempo, conjuntamente com a interrupção de todos e quaisquer cuidados médicos, farmacológicos ou outros, o doente acaba por falecer. São cessadas todas e quaisquer acções que tenham por fim prolongar a vida. Não há por isso um acto que provoque a morte (tal como na eutanásia activa), mas também não há nenhum que a impeça (como na distanásia).
É relevante distinguir eutanásia de "suicídio assistido", na medida em que na primeira é uma terceira pessoa que executa, e no segundo é o próprio doente que provoca a sua morte, ainda que para isso disponha da ajuda de terceiros.
Etimologicamente, distanásia é o oposto de eutanásia. A distanásia defende que devem ser utilizadas todas as possibilidades para prolongar a vida de um ser humano, ainda que a cura não seja uma possibilidade e o sofrimento se torne demasiadamente penoso.

O Governo enviou ao Parlamento o projecto de lei sobre a morte com dignidade.
"... Seus principais objetivos são proteger a dignidade dos pacientes que estão morrendo ou doentes terminais e garantir o pleno respeito do seu livre arbítrio para tomar decisões de saúde que afetam esse processo.
A lei garante determinados direitos para as pessoas que estão em fase final de sua vida como o direito à informação de saúde, o direito de tomar decisões, o direito ao alívio da dor, para apoiar e privacidade.
O futuro regulamento também prevê que qualquer pessoa adulta com plena capacidade jurídica é o direito de expressar a sua vontade em avançar sobre o tratamento e cuidados para receber no final do processo de vida .. "

Eutanasia : Direito a Vida, ou Morte Digna ?
O que você escolheria, pra um familiar seu, ou pra si mesmo ?


Deuteronômio 30 : 19
 [ ... Escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência ... ]

11 comentários:

taio disse...

excelente post

Thais Castro disse...

Acho que se a pessoa ainda não morreu é por algum motivo, então eu escolheria a esperanda de uma vida!

нєllєи Cαяoliиє disse...

Acho que ninguém tem o direito de tirar uma vida,a não ser Deus,ele quem deu a vida,ele quem deve tirar.
Parabéns pelo post.
Beijos

Paolla Bensuaski disse...

Oii ;') obrigada pela viiisita e pelo comentario..


Adorei aquiii, adorei os textos..
e já estou seguindo, se me permite. hahaha

volte sempre. Um beeeijo.

Denise Portes disse...

Na minha opinião esse tema é muito particular e deve ser avaliado de forma também particular.
Um abraço
Denise

Helio Tadeu Moscatelli disse...

Meu que complexo isso... Não da nem pra eu desenhar.. kuaukaukauka


www.desenhadinho.com

Karine disse...

Eu concerteza escolheria a vida, se estamos aqui é por que Deus tem nos sustentado, e ele sabe o momento final, ele sabe todas as coisas.
Ótimo dia para vc querida, Deus abençoe.

:$ Carloos ' disse...

esperança de vida concerteza, por que Deus não perdoa o suicídio :], então devemos aproveitar e siguir a vontade de Deus e morrer para a nossa vontade seja qual for a situação, seja qual for a doença, curavel ou incurável devemos se alegrar no Senhor :] gosto muito das suas perguntas, volto quando puder :]

Natália Santos disse...

Bem complicado o assunto.Eu só acho que ninguém tem o direito de tirar a vida de alguém, nem nós mesmo temos o direito de tirarmos nossa própria vida.Beijos.

Patrícia ♥ disse...

Tem selinho pra vc no meu Blog (:

Beijoos!!

http://pathyoliver.blogspot.com/2011/06/selinho-comemorativo-400-seguidores.html

Evanir disse...

Estou conhecendo seu blog hoje e vi que se trata de um tema muito discutivel ainda.estou seguindo você deixando um convite para conhecer e seguir meu blog quero muito acompanhar bem de perto suas postagens.Um lindo dia beijos e beijos meus,Evanir.